Ensaio pro show de lançamento

Salto no tempo. Início de 2009. Aluguei uma casa na beiramar de Serrambi, litoral sul de PE, entre Porto de Galinhas e Carneiros. Passei dias luminosos com meus filhos e amigos. Aluisio, Rosália e Djalma, vizinhos. Diante da luxúria da natureza e de suas gemas preciosas. Toda vida na terra vem do encontro desses dois elementos primitivos: calor e umidade. Sol e mar. Em Serrambi, do ponto da enseada onde estávamos, o sol se põe no mar a nossa frente, entre coqueiros.

Lá, durante 3 dias fizemos algo semelhante ao que tínhamos feito anos atrás, como eu citei na última postagem. Junto com Normando montamos um set de som para criação e ensaio na varanda da casa, em frente `a palhoça, `a piscina e ao mar. Dessa vez com Yuri, meu sobrinho e Eduardo Braga(A Roda) nas guitarras.

Os ensaios começavam quase sempre depois do por do sol e extendiam-se madrugada adentro. Incrível que o som tava bem alto mas ninguém da vizinhança chiou. Era o início da fase de ensaio do novo som. Tocamos o set list do show, mexemos em arranjos. Ouvimos sons no Ipod. Nine Inch Nails. General Eletricks. Tom Zé. Beck. DJ Dolores. Portishead novo. Lenine. Not Twist. Dread side of the moon, Bezerra da Silva, 3 na Massa.

Inventamos um vôlei dentro dágua, que virou a sensação da praia. Ninguém podia deixar a bola cair. O mar e as marolas eram os adversários. Baixo impacto. Som nas caixas de Normando.

O lançamento vai ser dia 26 de março no teatro da UFPE. Foi mágico ter começado a ensaiar dessa maneira. Lucky no baixo, Tostão na batera e no SPDS, Fabra nas programações e teclados, alem de Eduardo e Yuri que eu já falei. Só faltou meu querido Lucas dos Prazeres, que não teve como ir. Mas que vai estar com a gente na percussão. Aliás toda essa galera é a mesma que tocou no disco.

Flashback: chamei meu sobrinho Yuri pra produzir comigo o “Tem Juízo”. Início de 2007. Durante o processo de gravação foram surgindo parcerias. “Altos e Baixos”, Barulho da Gota”, “Meus Pés”, “Coração Burro” foram trocas de faíscas criativas nossas, quase sempre fluindo a partir de um texto, uma groove. Quando gravamos “Aboiando a Vaca Mecânica” (co-produzido com Felipe Falcão) Yuri tinha 13 anos.

Yuri é filho de minha irmã Nena, genial cantora e de Spock, maestro e sax fodão. Acompanho desde pequeno sua obsessão com música. Seu interesse precoce por instrumentos e sons. Produziu comigo e Tostão o último disco de Elba “Qual o assunto que mais lhe interessa” (ganhamos um Grammy latino), as trilhas do longa “Pindorama , a verdadeira história dos 7 anões” (dirigido por Roberto Berliner, Leo Crivellare e eu). Fez a vinheta de abertura do Agora Curta, um programa semanal de cinema que a gente faz na Globo NE. Tá tocando com uma porrada de gente: China, Dolores, Ortinho, Rivotrill. Antenado e corajoso. Yuri nunca perde a noção do adequado. E ainda pira. Puta parceiro.

Pro set list do show a gente pinçou musicas dos 3 discos “Aboiando a Vaca Mecânica”, “Azul Invisível Vermelho Cruel” e “Tem Juízo mas não Usa” . Além de parcerias com Lenine gravadas por ele. Ficou assim:

Pode ser que mude. Mas essa é a base. Quem tiver idéia (ideia) melhor que mande sua opinião. Idéia é pra ser trocada.

Anúncios

2 Respostas

  1. Sensacional….Mar, familia, amigos e musica…
    Luck é figura demais
    e yuri…O.o aff
    Enfim…
    Parabens louca pelo show =)

    2009/03/12 às 14:40

  2. Fábio Passadisco

    Eita… eu queria estar nessa farra!

    2009/03/15 às 10:46

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s